segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

AHJ: da contaminação a digitalização de documentos

Publicado na edição desta segunda-feira (11/2/13) "A História que o arquivo não esquecerá" no ANexo - Jornal ANotícia. Ao qual traz informação da contaminação de documentos por inseticida, descoberto no ano de 1986.
Especialista Gessonia na mesa de fluxo laminar utilizada no processo de digitalização

"O pó químico era muito utilizado na década de 70, não apenas no Brasil, pois ainda não se sabia dos efeitos provocados ao meio ambiente" e ao ser humano. As reclamações dos funcionários veio a partir do momento que o sistema de climatização do AHJ apresentou problemas.

Os arquivos contaminados foram isolados. O manuseio dos documentos contaminados do Arquivo Histórico de Joinville (AHJ) é restrito a funcionários, que só podem ter contato com o material com o uso de equipamentos de proteção individual, roupa especial, máscara e luvas. Porém os arquivos afetados por inseticidas devem ser digitalizados para consulta da população.

Nenhum comentário:

Postar um comentário