terça-feira, 23 de junho de 2015

Projeto quer avançar sobre dispersão humana na América

Prefeitura de Joinville - Material de Imprensa 

CULTURA - Projeto do Museu Arqueológico de Sambaqui de Joinville quer avançar nos estudos sobre a dispersão humana na América
Joinville, 
23/06/2015 09:39:15

O Museu Arqueológico de Sambaqui de Joinville (MASJ) busca parceiros para a continuidade das escavações no sambaqui Cubatão I. O projeto de pesquisa “Culturas e Meio Ambiente Pré-colonial da Baía da Babitionga: Etapa III Os Sambaquis do rio Palmital e Foz do rio Cubatão, Região de Joinville/SC”, tem aprovação pela Lei Rouanet para captar R$ 142 mil. O objetivo é avançar na pesquisa do Cubatão I, localizado na foz do rio Cubatão. Datado em três mil anos, o Cubatão I é um dos sambaquis mais estudados da região.
Nas escavações realizadas entre 2007 a 2009 novas perspectivas sobre a dieta alimentar, longevidade e saúde desses povos foram levantadas, além do surpreendente rigor no modo de enterramento das pessoas naquele espaço há 2.600 anos.
"Entre os 22 indivíduos descobertos, há seis sepultamentos infantis com riqueza em adornos, algo raro em escavações. Como se fossem cápsulas do tempo com tesouros biológicos, os dados que podem ser levantados sobre o modo de vida e a saúde desses povos podem  gerar comparativos para  a saúde pública da nossa sociedade", explica Roberta Meyer, coordenadora do MASJ. 
Outro ineditismo do Cubatão I é a sua forma de construção que evidencia na camada da base uma estrutura de madeira com fibras trançadas. Joinville é considerada a capital mundial de sambaquis.
A cidade concentra  41 sítios arqueológicos do tipo sambaqui, um patrimônio protegido por Lei Federal e que registra a ocupação humana  na região há mais de 5 mil anos. Segundo Roberta Meyer, os sambaquis preservados de Joinville potencializam a importância da cidade para o avanço científico sobre a dispersão humana na América do Sul. 
A coordenadora do Museu de Sambaqui reforça que estudar mais os sambaquis significa ampliar o conhecimento científico regional com perspectivas e interesses internacionais porque esses povos representam um dos mais antigos movimentos da dispersão do homem pela América.
“Buscamos o apoio de pessoas ou empresas que tenham interesse em ser parceiras e incentivadoras das pesquisas arqueológicas em Joinville", disse a dirigente do Museu. As pessoas interessadas devem procurarr o setor de Captação de Recursos da Fundação Cultural de Joinville. Informações pelo telefone (47) 3433-2190, com a Captação de Recursos.


Informações adicionais
Diego Rosa
Secretaria de Comunicação (Prefeitura Municipal de Joinville)
E-mail: drimprensa@gmail.com
Telefone: 

Enviado automaticamente pelo sistema Gerenciador de Notícias do Governo de Joinville

Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina

Nenhum comentário:

Postar um comentário